Você com certeza já ouviu falar sobre a preocupação dos governos de diversos países com o crescimento da população idosa e com a diminuição da população em idade atuante no mercado de trabalho, que vem deixando muitos países defasados em mão de obra. Até mesmo no Brasil, isso já é uma realidade nos dias de hoje; sendo pivô de diversas reformas previdenciárias que na tentativa de “tapar o buraco” econômico da previdência social, acabam prejudicando cada vez mais os trabalhadores.

 

Na Europa, essa preocupação está se tornando cada vez maior e por isso, Portugal vê nos imigrantes uma ótima oportunidade de suprir a demanda.

 

É certo que, todas as áreas profissionais sofrem com deficiência de profissionais. E cada vez mais, empresas têm chegado a Portugal à procura de bons profissionais. Se toda a mão de obra fica escassa, o que dizer sobre a mão de obra altamente qualificada, não é mesmo?

 

De acordo com o desenvolvimento da civilização, tecnologias e demais demandas mundiais, algumas profissões se tornam muito mais requeridas que outras; e por esse motivo, o governo português criou o Visto D3 destinado a esses profissionais altamente qualificados, a fim de oferecer diversos benefícios de atração para atuarem no país.

 

O que é o Visto D3?

 

O Visto D3 para Profissional Altamente Qualificado foi uma boa alternativa encontrada pela Europa, para atrair profissionais especializados em suas áreas, de países terceiros. E caso você se encaixe nos critérios exigidos, ele é facilmente concedido.

 

O que é um profissional altamente qualificado?

 

São profissionais que possuem conhecimento técnico especializado e excepcional.

 

Veja algumas áreas comumente aceitas nos vistos D3:

 
  • Tecnologia da Informação (TI);

  • Comunicação;

  • Estudantes admitidos em nível de doutorado;

  • Candidatos a docentes em universidades portuguesas;

  • Diretores e chefes;

  • Engenheiros;

  • Profissionais da saúde;

  • Profissionais das áreas jurídicas, sociais e culturais;

  • Pesquisadores científicos (em Portugal usa-se o termo investigadores).

 

Entretanto, é necessário pontuar, que não basta somente fazer parte de uma dessas classes de trabalho para ser aceito no visto D3.

 

Para que o visto seja concedido, é necessário que o profissional comprove que tem capacidade para resolver questões de alta complexidade, além de passar por uma minuciosa análise que segue alguns critérios legais de Portugal e da Comissão Europeia. Esses critérios são determinados pela organização International Standard Classification of Occupations (ISCO).

 

Benefícios do Visto D3

 

Morar em Portugal legalizado traz diversos benefícios.

 

Com o visto de residência, você pode trazer a sua família para viver na Europa com você, e assim, todos usufruírem dos benefícios de uma excelente educação, segurança, transporte, saúde e economia.

 
  • Com residência em Portugal você terá o benefício de transitar pelo Espaço Schengen que abrange 26 países europeus.

 
  • Com um custo baixo você poderá conhecer praticamente todos os países da União Europeia e toda a sua riqueza cultural. Isso sem contar com as maravilhas de Portugal como suas lindas praias, diversidade climática, culinária e historicidade.

 
  • O Visto D3, oferece a oportunidade de obter o tão cobiçado Blue Card (Cartão Azul Europeu) que garante igualdade de direitos como um cidadão local, livre circulação em toda a União Europeia, obtenção de Cidadania em menos tempo, direitos de residência permanente etc.

 

Como solicitar o Visto D3?

 

A solicitação do Visto deve ser feita ainda no Brasil. O visto não dá o direito de residir no país, e sim, de dar entrada nele, e a partir daí, o imigrante tem o prazo de até 120 dias para solicitar junto ao SEF sua Autorização de Residência.

 

A documentação necessária para solicitar o visto é:

 
  • Para pesquisadores: contrato ou promessa de trabalho ou bolsa de pesquisa científica – assinada pela instituição e por você;

  • Para docentes e outros trabalhos subordinados: contrato ou promessa de trabalho com duração de pelo menos 1 ano e remuneração de pelo menos 1,5 salário-mínimo mensal (cerca de 1.300€);

  • Carta da empresa onde seja explicitado o motivo do trabalho do requerente ser essencial;

  • Currículo;

  • Cópias de certificações acadêmicas e profissionais;

  • Declaração de requerimento do Visto D3: onde você irá informar os motivos da solicitação do visto, o local de pretensão de alojamento definitivo ou temporário e o período pretendido a permanecer no país;

  • Declaração de ciência de que não pode viajar a Portugal sem o Visto;

  • Plano de Seguro Médico Internacional ou PB4 (acordo entre 4 nações que garante que o imigrante obtenha o mesmo atendimento em saúde de um cidadão local – garantido gratuitamente a brasileiros que imigrem a Portugal);

  • Atestado de antecedentes criminais no Brasil, no país em que esteve nos últimos 12 meses (se for o caso), e autorização para investigação de possíveis antecedentes criminais em Portugal;

  • Cópia do RG;

  • 2 fotos 3×4;

  • Passaporte válido;

  • Comprovações financeiras.

 

Quais são as comprovações financeiras necessárias para morar em Portugal?

 

O governo português exige que você comprove capacidade de se sustentar por pelo menos 12 meses. O valor requerido é:

 
  • Equivalente a 1 salário-mínimo português para o titular do visto;

  • Meio salário-mínimo português para outros adultos (em caso de reagrupamento familiar);

  • 30% do salário-mínimo português para crianças e incapazes (em caso de reagrupamento familiar).

 

Tendo em vista que o salário-mínimo português vigente é de 665€, o valor comprovado pelo titular do visto deverá ser de 665€ x 12: 7.980€ correspondente a R$51.274,38 (na cotação do euro de R$6,43).

 

Quanto custa um Visto D3?

 

As taxas para obtenção do visto são:

 

Taxa Consular – R$596,78

Taxa de transferência – R$15,27

Taxa de processamento – R$165,77

Valor total do visto D3 – R$777,82

 

Como funciona a consultoria da Luz Advogado?

 

Cada pessoa possui sonhos, motivos e circunstâncias diferentes. Por essa razão, não é possível ter um passo-a-passo padronizado que atenda todas as pessoas. Com o intuito de dar atenção e assistência personalizada a cada cliente, a Luz Advogado trabalha com um número limitado de clientes. Dessa forma, o Dr Wellington Luz (habilitados na Ordem dos Advogados tanto do Brasil quanto de Portugal) poderá esclarecer as dúvidas e cuidar de cada detalhe para que a realização do seu sonho seja feita da forma mais fácil, rápida e segura.

 

A nossa consultoria é composta por 4 passos:

 

1º Passo: Clique no botão abaixo para falar com a nossa equipe para tirar todas as suas dúvidas e traçar um plano prévio de ação para a realização do seu sonho;

2º Passo: Será agendada uma entrevista com um de nossos advogados para detalharmos toda a sua história, motivações, expectativas e sonhos;

3º Passo: Você preencherá um formulário rápido para confeccionarmos uma proposta oficial para a sua segurança e acompanhamento dos processos;

4º Passo: Com a sua aprovação da nossa proposta final, iniciaremos todo o processo para a sua imigração.

 

Clique no botão abaixo e fale conosco:

 

Clique Aqui e Converse Com a Nossa Equipe